segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

Happy Valentine´s Day

E porque amanhã é dia dos namorados, aqui fica um trabalho dos alunos da EB Teso, feito na aula de inglês.

sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

O Senhor Empreendedorismo na EB Refojos

 O Senhor Empreendedorismo foi à escola de Refojos pela mão da BETWEIEN. É que os alunos da turma RF3 ganharam o 1º Prémio num concurso lançado por esta empresa aquando da comemoração do dia Internacional da Biblioteca Escolar. Foi muito divertido ouvir a história! Foi muito bem contada! E foi também divertido participar no jogo! Alguns momentos para recordar... apreciem as imagens!



Escrevendo livremente


Os alunos estão todos entusiasmados com as oficinas de escrita e sempre que podem aproveitam para escrever. Eis alguns trabalhos da turma RF4


PROFESSORA
Professora, não é só uma pessoa,
mas sim, uma super mulher!

Professora, não é só uma pessoa,
mas sim, alguém com poder!

Professora, não é só uma pessoa,
mas sim, a nossa prenda!

Professora, não é só uma pessoa,
mas sim, a rainha das fadas!

E professora... quero agradecer-lhe por tudo o que fez por nós!
                                                      (Diogo, Gabriela, Igor)

A LUA
A lua é um alfinete de prata
num vestido de veludo, azul-escuro!

A lua é uma cara triste 
tentando sorrir na escuridão!

A lua é um queijo redondo
levado por ratinhos mágicos para o céu!
                                                 (Luna)

PROFESSORA
A professora entra na sala
E arrasa na aula!
O barulho ela evita
E entra catita!
Com os livros vai ensinar
Ela é paga para nos "aturar"!
E todos temos de calar
Pois agora temos de estudar!

LER...
Ler é aprender
e aprender é ler!
Ler é crescer,
crescer com muita imaginação!
Imaginação para brincar
histórias criar e animar!
Ler...
        (Ana)

Oficina de escrita

Desta vez, na oficina de escrita, os alunos escreveram ao jeito de Teresa Noronha. Eis algumas das quadras das turmas AG4, TE4, FI3, AL4:

Se eu tirar um P de pato
Pondo um G no seu lugar,
Será que o pato mia
E o gato vai grasnar?

Se eu tirar o S de sola
Pondo um M em seu lugar,
Será que a sola amarra
E a mala vai caminhar?

Se eu tirar o C da cola
Pondo um B em seu lugar,
Será que a cola pincha
E a bola vai colar?

Se eu tirar o J de janela
Pondo um C em seu lugar,
Será que a canela abre
E a janela vai aromar?

Se eu tirar o S de saca
Pondo um F em seu lugar,
Será que a faca vai coisas transportar
E a saca vai cortar?

Se eu tirar o B de bola
Pondo um M em seu lugar,
Será que a bola prende
E a mola vai rebolar?

Se eu tirar o C de carro
Pondo um B em seu lugar,
Será que o carro molda
E o barro vai andar?

Se eu tirar o P da porta
Pondo um T em seu lugar,
Será que a torta fecha
E a porta vou saborear?

Se eu tirar o L de lula
Pondo um M em seu lugar,
Será que a lula é burra
E a mula vai nadar?

Se eu tirar o C de cinto
Pondo um P em seu lugar,
Será que o pinto aperta
E o cinto vai piar?

É um assunto complicado
Eu nem me quero “chatear”!
Vou mas é para a escola

Que lá, eu gosto de estar!

sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

Feliz Natal-2016


Já escreveram a carta para o Pai Natal? Apressem-se, ainda vão a tempo!!!
via Pinzellades al mon

A Biblioteca Escolar deseja a todos um Feliz Natal!!!

Oficina de escrita - Dezembro

Algumas produções das últimas oficinas de escrita do 1º Período:

Ao jeito de Helena Araújo:

Se vires alguém
Com uma seara de trigo nos cabelos
E uns lábios grossos como um nó de marinheiro…
Se vires alguém
Com bondade no rosto
E doçura no olhar…
Se vires alguém
Com muito espaço no coração…
Se vires alguém
Destacado a correr no cimo do monte…
Esse alguém é a minha Mãe!

                                                   Constança

Se vires alguém
Com o sol nos cabelos
e a esperança no olhar…
Se vires alguém
Com a pele morena…
Se vires alguém
Muito engraçada, brinca com ela…
E se esse alguém
Tiver a voz suave, fala com ela…
Esse alguém é a minha melhor amiga!
                                                               Cátia Cardoso
Se vires alguém
Com ondas no cabelo…
Se vires alguém
Com bondade no olhar…
Se vires alguém
Com chocolate macio na pele…
Se vires alguém
Com o vermelho dos morangos nos lábios…
E se a voz desse alguém
Tiver o som de uma cascata…
Esse alguém é o meu Pai!
                                                  Pedro
Se vires alguém
Com o sol nos cabelos…
Se vires alguém com diamantes no olhar…
Se vires alguém
Com pele macia de bebé
Se vires alguém
Com autêntica bondade…
E se a voz desse alguém
For como o vento a soprar…
Esse alguém é a minha melhor amiga!
                                                                    Luna

Se vires alguém
Não lhe tires o olhar de cima
É inconfundível o seu brilho…
Se vires alguém
Com a pele cor de café…
Se vires alguém
Com os cabelos tão majestosos…
E se esse alguém
Tiver amor no coração…
Esse alguém é o meu Pai!
                                             Mariana

Construindo diálogos...

A maquiavélica madrasta
A madrasta preparava-se para manchar e estragar o vestido da pobre Cinderela quando surgiu de uma gaveta a fada madrinha, muito irritada..
- Quem pensas tu que és? A estragares o vestido da Cinderela?! – perguntou a fada com a cara vermelha quase a rebentar de irritação. – Para já! Faço-te a vida negra!
- Ah! Ah! Ah!... Achas que eu tenho medo de um ser minúsculo como tu? – disse a madrasta com um riso maquiavélico.
- É melhor eu levar daqui este vestido para o bem da Cinderela. – pensou a fada, indo embora muito apressada.
E a fada madrinha foi a correr para o seu palácio para dar uns retoques no vestido. Depois, passado uns dias, deu o vestido à Cinderela e ela viveu feliz para sempre.
Constança

A Madrasta Choramingona
Num belo dia, a Madrasta preparava-se para cortar o lindo vestido de baile da Cinderela quando, de repente, surgiu a Fada Madrinha.
- Ó tu aí! Deixa esse vestido em paz! – gritou a Fada Madrinha com um tom ameaçador.
-E se eu não quiser? – inquiriu a Madrasta.
- Vais ter de o fazer, senão transformo-te num sapo! – exclamou a Fada Madrinha com um tom vingativo – O que escolhes? Ser um sapo ou deixares o vestido em paz!?
- Tu deves pensar que eu sou um bebé para ter medo de ti. – respondeu a Madrasta com tom de gozo.
- Estou farta! – disse a fada muito irritada - A paciência tem os seus limites! Abraca…
- Para, por favor! Eu não quero ser um sapo feio e pegajoso! – choramingou a Madrasta.
Perlimpimpim, a história chegou ao fim!
Luna
A bruxa má da Branca de Neve
A bruxa má da Branca de Neve preparava-se para pôr veneno na maçã dourada. De repente, aparece a fada Sininho pela fechadura.
- O que estás a fazer? – perguntou a fada Sininho com uma voz grossa.
- Estou a fazer o veneno mais maléfico do mundo para colocar dentro da maçã dourada – respondeu a bruxa dando uma gargalhada.
- Olha! Eu vou impedir-te! – exclamou confiante a fada Sininho.
- Como??? – gritou a bruxa cheia de raiva.
- Vou transformar-te numa formiga! – avisou a fada Sininho.
- Ah! Ah!... Quero ver! – desafiou a bruxa má.
- Perlim…
- Espera! Espera! Eu não faço mal à Branca de Neve! – gemeu a bruxa má cheia de medo.
Igor
 A mudança da bruxa má
A bruxa má estava preparadíssima para colocar veneno na maçã quando viu a fada Sininho a entrar pela fechadura.
- Sua fada intrometida, o que fazes aqui?! – exclamou irritadíssima a bruxa má, ameaçando a fada Sininho – Sai já daqui sua doida!
- Ah! Ajudem! A bruxa má é maléfica! – gritou a fada Sininho.
- Ah, ah, ah… És mesmo burra! Ninguém vai conseguir ouvir-te daqui! – disse a bruxa desatando a rir e a ofender a Sininho.
- Não, sua… sua! – gritou a Sininho limpando as lágrimas que lhe escorriam no rosto.
- Não consegues ofender-me, sou a mestre! – cantarolou a bruxa olhando misteriosamente para ela.
- És maléfica! Por isso…! Bambandi! Lancei um feitiço! – gritou irritada a fada Sininho.
- Desisto! Eu vou ser boa para a Branca de Neve. Desculpa, nunca mais vou ser má para ninguém! – choramingou a bruxa aos pés da fada Sininho.
- Eu perdoo-te! – exclamou a fada Sininho.
- Obrigada! – agradeceu a bruxa má.
Gabriela
Diálogo entre a Bruxa Má e a Fada Sininho
Estava escuro, era já de noite, e a fada Sininho vagueava pela floresta lá no meio das árvores, para verificar se tudo estava bem.
-Ah,ah,ah,ah! – riu-se alguém com uma gargalhada um pouco assustadora.
- O que terá sido isto? – interrogou-se a pequena fada, muito curiosa - Vou àquela casa ver.
E dirigiu-se para a pequena casa de madeira.
- Com esta poção vou conseguir envenenar os animais e depois, envenenar a Branca de Neve! – exclamou a bruxa má enquanto mexia a poção avermelhada.
- Pára sua bruxa maléfica! – gritou a Sininho, entrando de repente pela janela.
- Olá Sininho, estás boa? - perguntou a bruxa com um ar esquisito – Se estiveres é melhor deixares de estar, pois eu vou envenenar os animais e a Branca de Neve.
- Ai! Mas eu não vou deixar! Não penses que tenho medo de ti – respondeu a Sininho tirando a sua varinha que brilhava enquanto saíam faíscas.
- E tu pensas que me vences? Não, não! – gritou a bruxa atirando um pouco da poção à fada, mas não lhe acertou.
- Agora, vais ver! – gritou a fada – Plim, Plão, transformo esta bruxa num balão!
Transformada num balão, a bruxa voou, voou e nunca mais se viu. E a Sininho conseguiu salvar a floresta. 
Ana Francisca 

Concurso de leitura

A professora bibliotecária leu "Perdida de riso" de Graça Breia nas turmas de 2º ano.

E...

"A Cremilde tinha um problema: chorava por tudo e por nada. Chorava porque sim e porque não. Mas a Cremilde tinha, ainda, outro problema: não conseguia soltar uma gargalhada."

Ninguém, por mais que tentasse, conseguia fazer rir a Cremilde. Mas o Pedro conseguiu fazer a Cremilde rir. Ela riu à gargalhada!!!

O que terá dito o Pedro à Cremilde?


Este foi o desafio que a professora bibliotecária colocou em cada turma do 2º ano: O que terá dito o Pedro? 

Assim, cada turma pensou e apresentou uma hipótese. As turmas não conheciam as hipóteses umas das outras. A PB colocou todas as hipóteses no dotstorming solicitando que cada turma votasse na hipótese que considerasse mais divertida, a que poderia fazer a Cremilde rir.

Eis o resultado da votação:

Ganhou a turma AG2A com a seguinte hipótese:

"O Pedro disse à Cremilde que tinha andado de bicicleta e caiu, mostrando as suas cuecas cor-de-rosa com trombinha de elefante"

AH! AH! AH! AH!

Muitos Parabéns para a turma AG2A!!!

segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Oficinas de Escrita: retrato físico e psicológico

Retrato físico e psicológico... algumas produções:


O Pai Natal

A pessoa que eu vou retratar é o Pai Natal.
O Pai Natal é uma pessoa com uns cabelos curtos e brancos como o linho. Tem a pele macia e clara como a neve que cai do céu. Tem o rosto redondo como a gema de um ovo cozido. O seu nariz é bem feito. A boca é risonha com uns lábios grossos e pequenos. O Pai Natal é gordo como uma bola, mas de estatura média, como um adulto, com pernas e braços longos. Também tem longas barbas velhas e brancas tão fofas como as nuvens.
Usa quase sempre uma camisola vermelha como o morango maduro acabado de recolher da horta, e é igualzinha à cor das calças. Usa também e, muitas vezes, um gorro vermelho com um pompom na ponta que é tão branco como uma folha de papel.
O Pai Natal é meigo e tem o dever de entregar as prendas a todos os países e a todos os mundos. Ele é muito importante para mim e todos os Natais espero receber a sua prenda!

Gabriela RF4
A minha professora

A minha professora chama-se Carina, tem 40 anos mas parece que tem vinte! Vive em Apúlia com os seus dois filhos e com o marido.
Ela é alta e elegante, tem o cabelo negro como o cair da noite e fica-lhe pelos ombros. Os olhos dela são pequenos e arredondados, tem o nariz pequeno mas um bocado bicudo como o do Pinóquio, também tem boca pequena e os seus lábios são carnudos como uma cereja. O rosto é arredondado como a lua cheia. A voz é suave como o cantar de um rouxinol.
Gosta de se arranjar muito bem e hoje traz vestido, uma camisola um pouco larga, umas calças de ganga um bocado justas e umas botas castanhas.
A professora Carina é muito simpática, trabalhadora, sincera, carinhosa, amorosa, responsável e gosta de ajudar os outros, como eu!
Adoro a minha professora, tal como ela é!
TE4
A Constança

A pessoa que vou retratar chama-se Constança e é uma minha amiga, na escola.
A Constança tem cabelos médios e de cor castanho claro, como a areia da praia. A sua pele é clara como a luz do dia. Os seus olhos são meio verdes como as folhas das árvores. O seu nariz é curto e bem feito. A sua boca risonha tem lábios finos. Apresenta uma estatura alta, como uma montanha. As suas mãos são macias com dedos curtos e finos.
A Constança é uma menina muito alegre e a sua alegria contagia toda a gente. Ela, às vezes, é um pouco teimosa mas todos somos assim. É uma menina bondosa que gosta de ajudar toda a gente.
O seu vestuário é colorido e variado. Ela costuma vestir: saias, vestidos, calças e calções.
Esta minha amiga Constança é muito atenciosa e eu gosto muito dela.
Bia RF4
A Bia

A pessoa que eu vou descrever chama-se Bia e tem nove anos. Faz anos no dia 17 de Setembro.
A Bia tem um cabelo comprido e é loira da cor do sol. Costuma andar com o cabelo preso. Ela tem um rosto oval e magro mas muito bonito. A sua pele é clara, macia como a de um bebé. Os seus olhos são esverdeados da cor de uma erva a nascer. O nariz da Bia é bem feito, é arredondado. Os seus lábios são finos e risonhos. Ela é alta e esguia como uma árvore. E as mãos são bem habilidosas.
Esta minha amiga é simpática, atenciosa mas um pouco teimosa. Ela é muito desportista, e quer formar-se na área de desporto.
A Bia varia muitas vezes no estilo de vestir mas ela diz que prefere a roupa desportista. Calça o número 36 ou 37 e anda sempre com sapatilhas ou botas muito engraçadas.
A Bia é uma amiga e companheira que está sempre comigo nos bons e maus momentos. E eu quero preservar para sempre esta amizade com a minha querida Bia.
Constança RF4

A minha irmã

Eu vou falar-vos da minha irmã. Sabem ela é…
A Sofia, a minha irmã, tem a face arredondada como uma lua cheia. Ela tem cabelo comprido, encaracolado nas pontas e brilhante como o sol. Tem uns olhos castanhos como o chocolate. O seu nariz é arredondado, fofinho e pequenino como uma formiguinha. A boca sorridente que ela tem não deixa ninguém descontente, pois tem uns lábios delgados e vermelhos como uma cereja e uns dentinhos de ratinho. Da sua boca maravilhosa sai uma tenra e suave voz pela qual ela fala, suplica… O corpo é claro e frágil como seda, gorducho e pesado como uma coração quando está cheio de amizade.
A minha irmã é simpática e amiga pois tem um coração de ouro… mas, às vezes, é egoísta.
Ela gosta muito de usar vestidos mas também, calças, camisolas e fatos de treino. Ela costuma vestir roupas coloridas e confortáveis.
Para mim, ela é o amor da minha vida. A Sofia estará sempre no meu coração mesmo quando consegue ser marota!
Marina TE4

terça-feira, 29 de novembro de 2016

Oficina de Escrita

As produções resultantes da Oficina de Escrita, da semana passada...  lindas!!!

Da turma RF4, alguns extratos:

 “As folhas ficam estaladiças e eu gosto de pisá-las… como gosto de ouvir aquele barulho!... As romãs tem bolinhas vermelhas e parecem pertencer a um colar de uma menina.”                                                                                  Bruno 


 “ No outono, a natureza é bonita, como sempre! As árvores ficam despidas, parece que têm calor. As folhas ficam coloridas, parece que foram pintadas pelo Leonardo da Vinci. As flores desaparecem como fantasmas.”    Constança 

 “Os frutos no outono são coloridos e deliciosos. As castanhas, que assamos para fazer o magusto, são apetitosas! As uvas, que recolhemos maduras das videiras, servem para fazer o vinho. As romãs têm bolinhas vermelhas que parecem um colar! As nozes têm cascas duras e quase impossíveis de abrir com as mãos!”                                                         Dinis                                                                                             
 “As árvores com folhas caducas ficam despidas. As folhas ficam castanhas e tão estaladiças que gostamos de calcar!”                                                                                 Francisco 

 “Nesta época comemos as castanhas e fazemos o magusto. As pessoas fazem as vindimas e com as uvas fazem o vinho. Os dióspiros são tão doces que até deixam água na boca! As nozes têm uma casca dura como uma carapaça de uma tartaruga!”                                                                                                                                                                              Igor 

“No outono, alguns dias chove, noutros dias o vento sopra e é frio… mas o mais agradável são os dias de sol. É uma estação plena de incertezas! O céu, às vezes, está acinzentado como uma rocha ou azulado como o mar. As nuvens estão esbranquiçadas como o algodão ou acinzentadas e até parece que vai chover…. Eu gosto do barulho que as folhas fazem quando as pisamos, parecem batatas fritas! … Os castanheiros dão muitas castanhas deliciosas! Os dióspiros sumarentos e doces parecem o pôr do sol! A noz com uma casca dura é difícil de partir! As romãs têm bolinhas vermelhas que parecem berlindes. Os figos doces parecem um chupa a chupa!"                                                                                              Luna 

 “O céu fica escurecido, dá-me vontade de dormir o dia inteiro. As nuvens são fofas como algodão doce, dá-me vontade de saltar em cima delas…. No outono comemos castanhas, uvas dióspiros, romãs, figos e nozes. As castanhas assadas estalam como se estivessem a fazer uma música. Com as uvas deliciosas fazemos as vindimas. Os dióspiros são doces como o chocolate que compro na loja perto da minha casa. Os figos são sumarentos e deliciosos! As romãs têm bolinhas encarnadas que parecem pérolas de um colar! A noz tem uma casca dura e difícil de partir.”                           Catarina 



Da turma TE4:


O outono
O outono é uma estação do ano.
No Outono, o frio ataca-nos com a magia de congelar o corpo rapidamente. Os dias tornam-se mais pequenos e as noites mais longas, o que é bom para os mais preguiçosos. Na natureza, as folhas caem no chão e ficam molhadas e as árvores ficam despidas. O vestuário é quente e impermeável.
As brincadeiras nesta estação são muitas: as crianças rebolam nas folhas, saltam nas poças de água… Há uma bela festa, o S. Martinho onde o cheiro da castanha abre o apetite para as devorar. A água inunda a terra provocando cheias e ficando tudo molhado.
Eu não gosto muito do Outono mas gosto das brincadeiras que posso fazer nesta estação.

Cristiano Ferreira 
O Outono

O Outono é uma estação do ano.
No Outono há vento. Há poucos dias de sol, quase todos os dias são frios. E lentamente, os dias tornam-se mais pequenos e as noites mais longas e chuvosas.
Atrevidamente, as crianças saltam para as poças de água e, depois, ficam encharcadas.
Nesta estação, as folhas coloridas caem, os animais emigram ou hibernam e outros fogem dos caçadores.
Adequadamente, as crianças usam vestuário quentinho, casacos impermeáveis, gorros, cachecol, luvas e botas.
Alegremente, comemora-se uma adorada festa que há no Outono “O S. Martinho”. Adoro comer aquelas castanhas assadas e tão saborosas!
Amo o Outono por me dar estas alegrias que me fazem feliz.
Mateus 

Da turma TE3:

Um dia na praia

Esta imagem representa um dia de verão na praia.
Em cima, o sol brilha no céu, com uns raios tão bonitos e sorridentes. O sol está redondo e o dia parece quente! As nuvens bonitas e fofas, muito frias e encaracoladas lá no céu parecem bolas de neve.
Ao centro, os barcos triangulares e pequenos flutuam no mar; são barcos castanhos feitos de madeira. O mar está calmo e ondulado, muito frio e brilhante.
Em baixo, as rochas são cinzentas, grandes e bicudas, estão molhadas da água do mar. A areia parece quente, macia e dourada da cor do sol. As crianças brincam na areia e jogam à bola.
Parece um dia feliz!                                                                                                                         Rui Jorge